eXTReMe Tracker

8 de fevereiro de 2013

Máscaras e apelo
Jogo tudo no lixo e sento em possibilidades desconcertantes
Uma odisséia; esse túnel do desconhecido
E um relógio pendurado no pescoço, parado.                 Adeus.

Me tome
E se embebede da minha vida
A mais moribunda e travestida
Em sonhos e emoções
Desespero, paixão e vísceras

Aonde essa trilha leva?
Esse som me eleva
Quero partir desse concreto marginal e me despir
Virar de ponta cabeça e fazer melodia de todos os desencontros

Uma multidão e tudo cheira a flores partidas
São cabeças, são dentes, são genitais e inflamação na alma


Pregando todas as peças
E às risadas que rasgam sentimentos

Incendeio os sonhos de outrora
E vejo as cinzas pairando na maresia

Sem despedida muito longa...
Sinto todos os meus ossos se desmanchando
Cheiro de terra soprando depois da chuva longa
Avança a minha maré


Nenhum comentário:

Postar um comentário